domingo, 29 de abril de 2018

Mané Garrincha com a camisa do Bacabal


Foto da passagem do ponta bicampeão mundial com a seleção brasileira, Mané Garrincha, pelo nosso Estado, mais especificamente atuando pelo Bacabal Esporte Clube, no Estádio Merecão. A data da foto é de Novembro de 1969, quando Garrincha, já no final da carreira, atuava por algumas equipes Brasil afora,a nível de exibição. Sobre a passagem do craque pelo BEC, que veio por intermédio do falecido desportista Antônio Bento (ex-presidente do Sampaio Corrêa), uma curiosidade: antes da partida, contra a seleção bacabalense, os organizadores do evento foram buscar Garrincha no hotel,mas, para espanto, o craque havia sumido. O encontraram algumas horas depois. Garrincha pegou uma gaiola e se meteu no mato, atrás de passarinho, uma das suas maiores diversões quando ainda era garoto, no Rio de Janeiro



segunda-feira, 16 de abril de 2018

Grandes times no Estádio Correão, em Bacabal


Algumas grandes equipes do futebol nacional já desfilaram os seus craques no gramado do Estádio Corrêa,em Bacabal. Neste post, selecionamos alguns registros interessantes.


Amistoso na década de 90: Bacabal 1x1 Seleção Brasileira de Juniores. Na foto temos craques como Roger, Zelão, Émerson, Andrei, Roberto Carlos, Marquinhos, Djair e Élber. O time, vice campeão mundial sub 20 em 1991, ainda tinha Paulo Nunes e Sérgio Manoel no elenco.


Inauguração do Estádio José Luis Corrêa, dia 12 de Março de 1991. O Bacabal, debaixo de muita chuva,empatou em 1a 1 contra o Vasco da Gama. Léo fez o gol do BEC e Junior empatou para os cariocas.


Entre Novembro e Dezembro de 1976, foi realizado em São Luís o Torneio Governador Nunes Freire, competição amistosa que reunia três clubes maranhenses (Ferroviário, Moto Club e Sampaio Corrêa) e três da região sudeste (América Mineiro, Santos e São Paulo). Durante a realização desta competição, o tricolor paulista foi até Bacabal realizar um amistoso contra o Leão do Mearim, no dia 03 de Dezembro. O São Paulo venceu pelo placar de 2 a 1.

domingo, 15 de abril de 2018

Camisa do Expressinho Futebol Clube (década de 90)


Registro da camisa do Expressinho Futebol Clube, da década de 90 - não há registro do ano exato, o mais próximo pode ser 1995 ou 1996, com base em fotos de jornais. 






Sampaio arrasa Vitória do Mar: seis a zero


Texto extraído do Jornal O Estado do Maranhão, de 13 de Agosto de 1979


Muitos gols aconteceram no Nhozinho Santos, por ocasião da rodada dupla valendo pele returno do Campeonato Maranhense. Um pequeno público compareceu à nossa principal praça de esportes para assistir à série de gols marcados nos dois encontros.

Na preliminar, o Tupan voltou a fazer boa exibição e conseguiu passar fácil pelo São José, consignando três tentos sem levar nenhum. No primeiro tempo, o ponteiro esquerdo Claudiomar assinalou dois, aos 4 e 22 minutos respectivamente, contagem que permaneceu até os 45 minutos iniciais. Na etapa complementar, aos 28 minutos, Nascimento ampliou o marcador para 3 a 0, selando a sorte do São José.
O Tupan se reabilitou com Jailson; Armando, Passos, Gonçalves e Luis Cartola (Tomé); Ivo, Dirceu e Nascimento; Renato, Evandro (Jorge) e Claudionor. Enquanto isso, o São José vai mantendo a posição de lanterna da competição e usou Arlindo; Grilo (Alencar), Dandão, Reinaldo e Carlos; Sérgio e Ney; Luis, Halmir, César e Celso, em mais uma competição. O trio de arbitragem atuou a contento e foi formado por Euclides Souza como juiz central, Francisco Sousa e José Lima Oliveira como bandeirinhas.

Na partida principal, esperada até certo ponto com grande expectativa devido os comentários de que o Vitória iria endurecer o jogo, o Sampaio aplicou a goleada de 6 a 0 no seu adversário, não tomando conhecimento da fragilidade demonstrada pelo Vitória do Mar. Se não fosse a falta de melhor pontaria dos atacantes do Tricolor, o placar teria sido dilatada dada a facilidade com que o Sampaio chegava na grande área vitoriense.

Logo ao sair a bola, o lateral Zé Alberto caiu pela extrema direita e centrou cruzado para Cabecinha, que tocou com a testa, surpreendendo o goleiro Cabajal, que mal tinha se colocado sob as barras. Estava inaugurado o marcador aos 15 segundos do primeiro tempo de jogo. Logo depois, Jorge cobrou uma falta por cobertura para Edézio, que de cabeça entregou para Cabecinha marcar o segundo tento do Tricolor. O terceiro gol do Sampaio foi marcado por Riba, após receber um lançamento de Prado, pela direita. Riba tocou de cabeça aos 33 minutos. Aos 35, novamente Cabecinha recebia lançamento de Riba e mandava uma verdadeira bomba para os fundo das redes do Vitória do Mar. Em um dia muito feliz, Cabecinha completou a contagem do primeiro tempo fazendo o quinto gol, aos 37 minutos, depois de ganhar no pique do zagueiro Pedro. No segundo tempo o Sampaio apenas tocou a bola. Mesmo assim ainda fez um gol, novamente Cabecinha aos 25 minutos, sabendo a sorte daquele que se dispunha, antes do jogo, endurecer contra o Sampaio. Com cinco gols assinalados, Cabecinha assumiu a artilharia do certamente maranhense, com 12 gols, com uma boa vantagem sobre os outros concorrentes.

O Sampaio obteve um bom resultado jogando com Crésio (Marcial); Zé Alberto, Paulinho, Jorge e Ferreira; Rosclin, Riba e Edézio; Prado, Califórnia e Fumanchu. O Vitória do Mar atuou com Carbajal; Tales, Neguinho, Pedro e Alex; Severo, Genésio e Elias; Alan, Gentil e Luisinho. O juiz foi Lucílio Estrela e seus auxiliares Ernildo Ramos e Osvaldo Pestana. 





quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

VÍDEO - Sampaio Corrêa 2x1 Moto Club - Campeonato Maranhense 1987


Vídeo com os gols do jogo Sampaio Corrêa 2x1 Moto Club, pela fase final do Campeonato Maranhense de 1987. O jogo foi realizado no dia 19 de Julho, no Castelão. Imagens do programa Maranhão TV.
 

Podcast "Memórias do Futebol Maranhense": NEGUINHO (22/02/2018)


Quarto Podcast "Memórias do Futebol Maranhense", agora com o ex-jogador Neguinho, gravada no dia 26 de Janeiro de 2013 e exibida no dia 22 de Fevereiro de 2018. Craque no Moto Club e ídolo no Sampaio Corrêa campeão do Brasileirinho, o "Deus da Raça" jogou profissionalmente durante 27 anos e pendurou as chuteiras aos 46 anos.



Mesmo sem jogar um bom futebol, o Moto conseguiu vencer o Tigre


Texto extraído do Jornal O Estado do Maranhão, de 14 de Agosto de 1979


Apresentando um futebol tecnicamente muito ruim, o Moto Club conseguiu ganhar do Tiradentes por dois tentos a um. O meio de campo do rubro-negro não demonstrou nenhum entrosamento e as falhas foram imperdoáveis porque a equipe estava mostrando alguns novos jogadores que foram adquiridos como reforços para o Campeonato Nacional. O ataque armado pelo técnico Marçal não foi obedecido e não poderia ter sido diferente em razão de Antônio Carlos ter características de centroavante, indo sempre à frente, deixando o meio praticamente sem combate. Aliás, nesse jogo, durante quarenta minutos o Moto conseguiu reunir quatro centroavantes de uma só vez. Isto chegou a prejudicar a equipe porque não tinha quem fizesse os lançamentos, possibilitando que o adversário procurasse dominar aquele setor. Luis Paulo, Antônio Carlos, Mendes e Luis nada conseguiram, a não ser levar algumas bolas para a defesa do goleiro Detinho. De qualquer maneira prevaleceu o resultado e o rubro-negro conseguiu sair com os loiros da vitória e sentir as condições do futebol piauiense, que por certo estará em nossa chave no Campeonato Brasileiro, representado pelo próprio Tiradentes, River e Piauí.

A abertura do marcador aconteceu logo no início do espetáculo, através de Régis, depois de ter recebido um toque de cabeça do meio-campista Dilson, quando eram decorridos apenas um minuto de jogo. O segundo tento motense foi anotado novamente por Régis, aos 21 minutos. Antônio Carlos tocou para Luis Carlos, que se atrapalhou e deixou a bola passar, fazendo com que o zagueiro Cidade não conseguisse intercepta-la antes que chegasse aos pés de Régis.Com dois tentos a zero a seu favor, o Moto tentou segurar o jogo. O gol do Tiradentes foi anotado por Hélio Rocha, o melhor atleta do Tigre, através de um chute por cobertura da intermediária. O goleiro Caxias sem se mexeu.




SÚMULA

Moto Club 2x1 Tiradentes-PI
Data: 14/08/1979
Local: Estádio Nhozinho Santos
Juiz: Sérgio Faray
Bandeirinhas: Renato Rodrigues e José Lima Oliveira
Gols: Régis a 1 minutos e 22 e Hélio Rocha aos 32 minutos do primeiro tempo
Público: 3.563 torcedores
Renda: Cr$  86.948,00
Moto Club: Caxias; Bassi, Gaspar, Irineu e Breno; Tião e Dílson (Luís Paulo); Esterferson (Mendes), Antonio Carlos, Luís Carlos e Régis. Técnico: Marçal Tolentino Serra
Tiradentes-PI: Detinho; Luis, Cidade, Baiano (Cafofa) e Nelsinho; Evandro (Braz) e Hélio Rocha; Luís Sérgio (Itevaldo), Rogério, Djalma (Silva) e Acir

sábado, 10 de fevereiro de 2018

Podcast "Memórias do Futebol Maranhense": MARCIAL (10/02/2018)


Terceiro Podcast "Memórias do Futebol Maranhense", com o ex-goleiro Marcial, gravada no dia 12 de Fevereiro de 2002 e exibida no dia 10 de Fevereiro de 2018. Goleiro revelado pelo Torneio Intermunicipal, Marcial ganhou fama no extinto Ferroviário e no Sampaio Corrêa, onde posteriormente virou treinador de goleiros. O craque foi campeão Brasileiro da Série C em 1997, na condição de preparador de goleiros, carreira que segue até hoje após abandonar os gramados como profissional.


sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

VÍDEO - Seleção Pinheirense 2x3 Moto Club - Amistoso em 1987


Vídeo do jogo Seleção Pinheirense 2x3 Moto Club, em jogo amistoso realizado em 1987, no Estádio Municipal Costa Rodrigues. Imagens do programa Maranhão TV.

1x0: São José não aguenta o Sampaio (1979)


Matéria extraída do jornal "O Estado do Maranhão", de 02 de Agosto de 1979

"Com um Sampaio dominando inteiramente e com o arqueiro Bibiu defendendo até pênalti, o Tricolor ganhou à noite passada do São José por 1x0, com gol anotado por Jorge, no primeiro tempo. O Tricolor dominou as ações, mas não soube transformar em tentos a superioridade existente no espetáculo, acabando por vencer apenas por um gol de diferença de um adversário por demais fraco. Quem julgava que o Sampaio aplicaria uma goleada se enganou totalmente, porque o time bicolor resistiu inteiramente, com uma força de vontade maior do mundo e mostrando que no returno não sofrerá as derrotas contundentes da primeira etapa do certame.

O gol único do espetáculo foi marcado através do zagueiro Jorge, no primeiro tempo. Durante o cotejo, o Sampaio colocou quatro bolas na trave de Bibiu e perdeu um pênalti, o que demonstra que a noite não era Tricolor. Na preliminar, o Vitória do Mar deu grande passo para se classificar para o terceiro turno ao vencer o Tupan por 3 a 1."